Expensive Soul

Reportagem Fotografica do Concerto de abertura da Tour "Sonhador", novo disco dos Expensive Soul - Coliseu de Lisboa - 18 de Abril de 2015.

Quem diria que tinham passado quatro anos desde que "O Amor É Mágico" explodiu na rádio. Quatro anos que abalaram o país, a Europa e o mundo mas que não impediram os Expensive Soul de cantar bem alto que acreditar na utopia podia não ser um erro.

O duo de Leça da Palmeira lançou em Junho de 2014 o seu 4º álbum de originais, contendo os dois grandes primeiros sucessos "Cúpido" e "Que Saudade". O álbum foi gravado ao longo de 2014 com mais de 20 músicos a participarem em simultâneo na maioria das canções. A produção é de New Max, que assina também todas as músicas e letras enquanto Demo escreve as magníficas rimas. Chegou em Junho de 2015 às lojas com um total de 13 canções, duas das quais "escondidas". É "soul music" cantada em português, feita no norte de Portugal, oscilando entre os sensuais "midtempos" e os "grooves" mais dançáveis. Pelas letras é o trabalho mais interventivo dos Expensive Soul, que estão cada vez mais exímios na transmissão de ideias em ambiente de festa. O amor continua sempre presente mas aqui e ali há uma mensagem de inconformismo que vai passando, como em "Progresso", o tema que abre o disco.

Toda a letra é uma constatação do estado atual das coisas, incentivando uma postura inconformista mas simultaneamente encorajadora e até mesmo otimista. A toada ativista sobressai aliás noutros temas como "Lição", "Agora É De Vez" e "Sonhador", uma das canções "escondidas" depois do alinhamento. Já "Cúpido" é a canção de amor sem pretensões a mais, uma celebração rítmica de melodia fresca em que as cordas, metais e vozes se entrelaçam alegremente. "Reacender A Chama", em que a música tem a coautoria do baixista Sérgio Marques, é uma pérola de boa disposição em que, mais uma vez, cordas, metais e vozes se entrelaçam em harmonia melódica e rítmica. E o "rap" de Demo a antecipar o clímax torna-a a canção romântica mais completa de sempre da "pop" lusa. "Abre-te Comigo" é a primeira balada do disco, com Max a abandonar momentaneamente o falsete e o Hammond a inundar o terreno com uma toada "vintage" relaxante. Segue-se o segundo single "Que Saudade", lançado em Março deste ano e em rota ascendente nas tabelas nacionais de "airplay". Mereceu uma autêntica obra de arte interativa nas 3 versões do vídeo clip que podem ser vistas em simultâneo no site dos Expensive Soul. Atenção a "Electrificado", um puro "funk" que deveria ser obrigatório nas pistas de dança este Verão. O sax quente sola sobre os hammonds rebentando numa festa de metais inebriante com cheiro a "new wave" e Talking Heads. "Agora É De Vez" é um exercício de orquestração e arranjos, mais um capítulo deste verdadeiro manual de "soul" orgânico que é "Sonhador", uma coleção de 13 orelhudas canções que abrem um novo capítulo na história dos Expensive Soul.

Fotografia By Luis Macedo Google+