Tiago Bettencourt

Tiago Bettencourt no Festival Sol Da Caparica 2015.
Dia 3, 16 de Agosto.

“A coisa que mais me entristece é ouvir alguém dizer: “eh pá desculpa mas eu não ouço música Portuguesa”. Para mim, isso é não só um grande sinal de ignorância, como também uma grande falta de orgulho no seu país e em toda a nossa cultura e histórias”, começa por defender Tiago Bettencourt. “Acho que infelizmente vivemos num país com um sério problema de falta de amor-próprio escondido por trás de um total fascínio cego por tudo o que “vem do estrangeiro”. Penso que o festival Sol da Caparica vem mostrar não só que em Portugal se faz música para todos os gostos, como também que é possível construir 3 dias de festa onde o poder da lusofonia quebra as barreiras do preconceito, que ainda existe neste país. Cresci a ouvir música feita por cá, desde o fado ao rock, e tenho pena de quem não conhece aquilo de que somos capazes de fazer sentir. Parabéns pelo festival. Estou muito contente por fazer parte deste cartaz”. Sobre o concerto, revela: “Acho que como é um espectáculo de festival de verão, vamos puxar mais pelo nosso lado rock. Vamos tocar algumas músicas do álbum que estamos a promover chamado “do princípio”, mas não deixaremos de tocar também canções mais antigas, que se tornaram obrigatórias em todos os concertos. Por estarmos perto de casa, vai ser muito fácil levar um convidado… mas honestamente ainda não consegui decidir quem será!”

É uma das mais aplaudidas vozes da nova geração de cantautores portugueses. E já tem uma bagagem considerável:
Tiago Bettencourt começou por dar nas vistas à frente dos Toranja, grupo que consegui um assinalável sucesso e onde o talento de Tiago se manifestou de forma evidente em temas como “A Carta” ou “Laços”. Os Toranja cessaram actividades em 2006, levando depois Tiago Bettencourt a iniciar uma carreira a solo que deixou claro que os aplausos com que o público se rendeu aos Toranja não tinham sido obra do acaso: “Canção Simples” deixou isso claro.
Em Fuga e Tiago na Toca e os Poetas foram outros degraus no percurso de sucesso de Tiago. Neste último trabalho a sua voz encontrou poemas de Ary dos Santos e Florbela Espanca e as vozes de companheiros de aventura como Carminho ou Camané. Novas etapas nesta ida de entrega às canções foram os trabalhos Acústico e o mais recente Do Princípio, cada um deles mais uma válida amostra de um talento que chega maduro ao palco principal d’O Sol da Caparica para um espectáculo muito especial.


By Luis Macedo
Google+