Cascais Groove 2017

Festival Cascais Groove 2017 - Parque Marechal Carmona - 23, 24 e 25 de Junho.

O Cascais Groove regressou em 2017 com novo local, novas datas e acima de tudo com propostas inovadoras que pretendiam reforçar e melhorar o que de diferente e bom caracterizou a primeira edição.
Decorreu no charmoso e acolhedor Parque Marechal Carmona. Este Parque já acolhe aos sábados o Mercado Biológico de Cascais onde se pode encontrar produtos de agricultura biológica certificados, o que vai ao encontro do próprio conceito do festival que pretende valorizar tudo o que envolve um ambiente natural e à semelhança da edição anterior existem diversos espaços onde as pessoas podderiam não só assistir aos espetáculos, mas também conviver com família e os amigos e relaxar ao fim de um dia de trabalho.
O ponto de partida é a música, como não poderia deixar de ser, mas a renovada aposta num ambiente natural cenografado de forma a criar uma atmosfera urban chic será um dos pontos fortes para continuar a surpreender os vários públicos a que se destina.
O CASCAIS GROOVE mantem propostas de concertos numa envolvente exclusiva e intimista, tirando partido de duas partes do dia, oferece um leque de vertentes complementares, materializadas em espaços e ambientes distintos como Groove Music, Groove Kids, Groove Food, Groove by day, Being Groovee Groove by Night.

Para além de estar no centro de Cascais, o Groove 2017 contou com outras novidades em relação à edição do ano passado. “ A grande alteração é que vamos alargar o festival não só à música, mas também a outras formas de expressão artística” referiu André Sardet, organizador do festival. “A ideia é fazer do Groove um festival de artes” acrescentou o músico.

“Este é um projeto inovador com uma marca que está a ser consolidada e com preocupações de sustentabilidade e uma visão mais holística da cultura que está em consonância com as linhas estruturais desenvolvidas no concelho” referiu o vice-presidente da Câmara de Cascais, Miguel Pinto Luz, justificando a parceria do município com a organização do festival.

As actuações do primeiro dia, tiveram um cariz mais leve e divertido com "As Baladas do Drº Paixão", espetaculo de autoria de Nuno Markl e João Só, que associam claramente a comédia à música; e também com o "Deixem o Pimba em Paz", espetaculo do Bruno Nogueira que sempre esteve fascinado pelo universo pimba, e propõe-se dar outra vida a essas canções, juntando Manuela Azevedo, vocalista dos Clã, e outros músicos que fizeram arranjos de jazz e pop onde eles eram pouco prováveis. O pimba é unificador. Às escondidas, para não parecer mal. Seja numa festa da Quinta do Lago, seja no meio de um churrasco em Massamá, aos primeiros acordes de uma música de Quim Barreiros haverá uma debandada a correr para a pista de dança e a cantar o refrão em alegre e alta voz. Deixem o Pimba em Paz é um concerto e um espectáculo de desconstrução e, quem sabe, a oportunidade de juntar numa sala pessoas da Quinta do Lago e de Massamá. E já não é pouco.

No segundo dia foi a vez de ambiente musical muito diferente com o novo espetáculo de Joaquín Cortés “Essência” que foi estrado no Groove. O espetáculo que ainda estava a ser concebido e a aprimorado, nas palavras do bailarino espanhol, envolver cerca de 30 pessoas em palco entre bailarinos e músicos e mistura vários tipos de música e dança como ballet clássico, dança espanhola e contemporânea. “ Estou muito contente em regressar a Portugal e atuar aqui no Cascais Groove depois de uma ausência de 5 anos” referiu.
Esencia é um espetáculo autobiográfico sobre a criança que luta pelos seus sonhos, combate adversidades e faz frente às críticas até se tornar uma estrela internacional na sua arte. Cruza o ritmo tradicional da Andaluzia com bailado contemporâneo e é atravessado por um amor intenso, sofrido e desesperado. Reúne, em palco, um elenco de trinta artistas entre vozes, bailarinos, percussão, sopro e cordas.
A noite não terá corrido da melhor forma para o artista, que se lesionou, não tendo conseguido comparecer nos agradecimentos finais. Ainda assim conseguiu conduzir um espetáculo intenso, pleno de alegria e sentimento, com cerca de duas horas.

E no último dia actuaram os muito esperados Thievery Corporation, duo originário de Washington, nos Estados Unidos, formado por Rob Garza e Eric Hilton que trouxeram uma banda com mais de 7 elementos.
Podem ver a reportagem completa deste concerto aqui: Thievery Corporation

By Luis Macedo
Google+